IBA - PROJETO Nº 1

CONTABILIDADE AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS

Somos todos consumidores de alimentos. É natural querermos que contenham os nutrientes que necessitamos para uma vida saudável, bem como sejam livres de substâncias sintéticas ou tóxicas.

Existem modelos ou sistemas de produção que, além de produzirem alimentos mais fracos e contaminados com substâncias prejudiciais à saúde, comprometem nossos recursos naturais, como águas, solo e atmosfera. Por outro lado, existem sistemas que produzem alimentos mais nutritivos, e que ainda preservam, e até melhoram o ambiente. Esses últimos devem, sem dúvida, ser incentivados por toda a sociedade.

As definições encontradas sobre “Contabilidade Ambiental”, ou C.A., não traduzem a necessidade que sentimos, de mensurar as consequências da produção de alimentos, em termos de contas a pagar ou contas a receber, para as futuras gerações, nesse planeta.

Sendo assim, conceituamos a C.A. e selecionamos parâmetros objetivos para medir o que estamos deixando para o futuro, ao produzir alimentos: débitos ou créditos? Aqui entende-se por débito as perturbações provocadas pela atividade, como poluição de águas, erosão, emissão de gases de efeito estufa, perda de fertilidade do solo, destruição de nascentes, entre outras. Ao contrário, créditos seriam os ganhos ambientais gerados.

Nossa intenção é a de que esses conceitos e parâmetros comecem a ser usados de imediato, mas também, que sejam questionados e aperfeiçoados com o tempo. As pessoas têm o direito de saber que, conforme o sistema utilizado para se produzir um alimento, gera-se um débito ou um crédito, a serem resgatados pelas futuras gerações.

A partir dessa contabilidade, o mercado poderá estabelecer o valor dos alimentos, não apenas conforme sua qualidade intrínseca, mas também de acordo com a lógica do débito/crédito que sua produção gerou para o futuro, em termos ambientais e, consequentemente, de qualidade de vida para os habitantes desse planeta.

É falsa a frequente afirmação de que sistemas mais limpos de produção têm custos mais elevados e menores produtividades. Na verdade, sistemas mais limpos e sustentáveis, utilizam menos insumos externos, permitindo maiores lucros, quando bem manejados. melhores resultados, tanto para o produtor, quanto para o meio ambiente. Sistemas conservacionistas, de base agroecológica, são os que proporcionam os melhores resultados, tanto para o produtor, quanto para o meio ambiente.

A contabilidade ambiental na produção de alimentos pretende, de um lado, gerar informações que promovam o desenvolvimento de sistemas mais inteligentes e limpos. De outro lado, tem como objetivo estimular o mercado a remunerar melhor os produtores que se dedicarem a produzir de maneira cada vez mais limpa e verdadeiramente sustentável. Por isso, esse tema foi escolhido como Projeto nº 1 do IBA – Instituto Brasileiro de Agroecologia.

DEFINIÇÃO DE CONTABILIDADE AMBIENTAL

Entende-se por contabilidade ambiental, a mensuração e o registro anual de parâmetros físicos, químicos e biológicos que apontem, de forma inequívoca, as consequências do sistema de produção utilizado, na degradação/intoxicação ou na recuperação/desintoxicação daquele agroecossistema, bem como do meio ambiente como um todo, incluindo as pessoas.

Fechar Menu